OTIMIZAÇÃO DOS RECURSOS DO SETOR DE INTERNAÇÃO VIA SUS

GESTÃO POR PROCESSOS – Baseada nas práticas de Lean Healthcare, a EPR implementou ações para garantir a qualidade dos serviços prestados, reduzir o tempo de espera dos pacientes e reduzir o tempo médio de internação no setor.

desafio

Baseada nas práticas de Lean Healthcare, a EPR Consultoria desenvolveu um projeto de consultoria no Hospital Sapiranga, hospital beneficente da cidade, visando um melhor gerenciamento de leitos e de recursos no setor de internação via Sistema Único de Saúde.

A partir de visitas ao local, entrevistas com os colaboradores e estudo das novas práticas de Engenharia de Produção na saúde, a equipe dividiu o seu trabalho em 3 frentes de atuação.

solução

O primeiro passo foi a elaboração do Gerenciador de Leitos, uma ferramenta em Excel integrada ao software do hospital que visa proporcionar à equipe multidisciplinar uma visão estratégica dos 45 leitos do SUS. Com ferramentas visuais, tem como objetivo dar destaque à previsão de alta dos pacientes e, assim, servir de base para que se tomem as medidas necessárias para agilizar a liberação do paciente.

Em seguida, foi realizada a Semana da Qualidade, na qual houve a revisão de todas as rotinas internas da instituição e permitiu o aprimoramento dos procedimentos operacionais padrão (POPs) de cada setor. Isso permitiu que gestores e diretores, em conjunto com as suas equipes, pudessem revisar, atualizar e aprimorar efetivamente todos os procedimentos padrão, garantindo a sua eficiência.

Já a terceira frente de atuação foi a implementação de ações inovadoras na dispensação de medicamentos – a Terapia Antimicrobiana Sequencial: pacientes que ficariam internados apenas para receber o antibiótico endovenoso recebem de graça o medicamento via oral para concluírem o tratamento em casa. Profissionais da saúde garantem a eficiência do método e ressaltam que, além de proporcionar um maior giro dos leitos, há benefícios indiretos como a redução da frequência de infecções hospitalares.

resultado

Com isso, somente de janeiro a outubro de 2017 conseguiu-se uma redução de custos de mais de R$15.000 apenas com a diferença entre os antibióticos via oral e endovenoso, além da economia do custo das diárias evitadas. Considerando a crescente demanda pela utilização dos serviços de atendimento via SUS e a não atualização da tabela de pagamento dos serviços, é inegável que os resultados obtidos pelo projeto foram de alto impacto e de extrema importância para a sustentabilidade do Hospital.

Por fim, a implementação do projeto possibilitará uma redução no tempo médio de internação dos pacientes e uma melhoria na gestão dos leitos, baseada na descentralização da informação e no aumento do conhecimento sobre a situação do setor. O projeto também proporcionará um aumento na confiabilidade dos procedimentos, por meio da utilização de um método de aprimoramento sistêmico em todos os setores e, principalmente, para todas as pessoas do Hospital