ARRANJO FÍSICO: SAIBA O QUE É E COMO BENEFICIA SEU LOCAL DE TRABALHO

 

Arranjo físico, como qualquer segmento da engenharia, leva em consideração inúmeros fatores e pode gerar resultados muito bons quando bem equilibrado. Porém, quando não adequado, pode resultar em problemas na operação. Sendo assim, trata-se de um estudo com modelos propostos de acordo a cada segmento do mercado.

E sabendo que atualmente a competitividade entre empresas do mercado não permite que detalhes ou imperfeições não sejam rapidamente corrigidas. Isso implica em que colaboradores busquem otimizar suas atividades e processos constantemente. E através de uma perspectiva macro, se estratégias, pessoas e processos estão otimizados, o arranjo físico precisa acompanhar esse fluxo de otimização e deve ser trabalhado na empresa.

Portanto, a estrutura física, o mobiliário, a disposição de objetos no ambiente, a lógica de estoque de produtos ou local de serviços e os colaboradores são variáveis fundamentais à escolha do layout adequado. Em outras palavras, existem inúmeros fatores que garantem melhor ergonomia no trabalho, redução de gastos e aumento da produtividade. Confira mais sobre o assunto ao longo do texto!

 

O que é arranjo físico?

Arranjo físico diz respeito ao posicionamento físico dos recursos transformadores de uma empresa. Isso vai das instalações, equipamentos, colaboradores e a forma com que esses itens se relacionam. Através do arranjo físico, que também pode ser chamado de Layout, podemos maximizar a capacidade produtiva por meio de um melhor desempenho de equipamentos e colaboradores Dessa maneira, a rotina de trabalho torna-se mais fácil, fluida e otimizada.

A fim de ilustrar a função do arranjo físico, trazemos um exemplo muito corriqueiro no mundo corporativo. Podemos pensar em um escritório onde documentos são arquivados em um lugar devidamente sinalizado e de fácil acesso. Portanto, isso permite que seus colaboradores sejam mais independentes e, consequentemente, mais produtivos, uma vez que não possuem impeditivos básicos, atrelados ou não aos processos.

 

Qual é o objetivo do arranjo físico?

O estudo de layout gera uma harmonia visual, física e produtiva entre os elementos presentes no espaço. Essa harmonia é algo muito importante para produtividade e segurança dos colaboradores. Dessa forma, o objetivo é alcançar a máxima produtividade possível, por isso focar no bem-estar dos colaboradores é tão importante. Sendo assim, para cada setor ou segmento existe um padrão de normas a serem seguidas e objetivos empresariais a serem alcançados.

O planejamento que envolve a implementação de um arranjo físico deve ser muito bem elaborado e levar em consideração questões como o financeiro da empresa, caso contrário podem surgir sérios problemas. Nesse sentido, as perdas geradas estão diretamente ligadas à produtividade de equipamentos e pessoas. Elas podem afetar a saúde financeira da empresa, a qualidade de produtos ou serviços e, até mesmo, a segurança e bem-estar dos colaboradores. 

Sendo assim, através de um arranjo físico de qualidade e otimizado, é possível proporcionar um espaço físico mais seguro aos colaboradores, indo ao encontro às normas de saúde e segurança do trabalho. Dessa maneira, evitam-se acidentes e doenças ocupacionais.

Mas como isso pode ser feito de maneira prática? Com a iluminação adequada, sinalização dos lugares de entrada e saída de pessoas, cargas, produtos e equipamentos móveis, por exemplo. Além disso, atentar-se ao armazenamento correto de matérias com periculosidade, maquinário com local fixo e otimizado. Ainda, recomenda-se a documentação adequada destes itens, para ficarem de fácil acesso aos colaboradores.

 

Quando preciso de um estudo de layout?

O estudo de layout que, em outras palavras, significa estudo do arranjo físico, permite a realização de análises profundas na empresa. Por exemplo, entender como o estoque de insumos afeta o fluxo de materiais e pessoas na fábrica e o quanto a disposição do seu fluxo influencia na produção.

Isso serve como ponto de partida para avaliar a área necessária para o transporte de pessoas e equipamentos necessários ao processo. Portanto, definir a ocupação espacial da área disponível pelos elementos necessários à produção e a interação dos pontos levantados para garantir um layout otimizado.

Para avaliar se você precisa de um estudo de layout, verifique se os seus processos estão otimizados, sem gargalos, sem pessoas ociosas e com delimitações de espaços para fluxos e equipamentos. Se você observar que ainda existem pontos a melhorar, você deve ir em busca de um estudo de layout para otimizar os seus processos tendo em vista a potencialização dos resultados da sua empresa.

A falta do arranjo físico adequado gera movimentação excessiva de pessoas, de matéria-prima, espaços mal utilizados e pessoas ociosas na área de produção. Por vezes, longas filas para o atendimento do cliente. No geral, esses são sintomas bem perceptíveis de um layout ainda não otimizado, porém passível de modificações

 

Quais são os benefícios do arranjo físico?

Atualmente, através do estudo de engenharia de produção e com base na metodologia Lean Manufacturing, é possível garantir um layout empresarial e fabril baseado em decisões e ferramentas técnicas. Isso permite uma série de vantagens ligadas à produção, como a parte logística em um fluxo de materiais e de trabalho mais fluidos, tráfego mais acessível para clientes e colaboradores, aumento da produtividade e redução de custos na operação. 

Além disso, facilita as entradas e saídas de materiais e auxilia no gerenciamento visual e na supervisão. Por fim, gera um ambiente de trabalho mais agradável aos colaboradores, em paralelo a uma disposição e setorização inteligente de cada time da empresa com uma comunicação facilitada.

Indiretamente, esses pontos otimizados permitem aos colaboradores focar nos pontos chave do negócio, como o produto em si ou o serviço para o cliente. E quando a análise inversa é utilizada, o cliente se conecta com aquilo que lhe for mais adequado. Portanto, por vezes a organização e a qualidade são pontos chave na tomada de decisão do cliente.

 

Quais são os tipos de arranjo físico?

Agora, com a definição das vantagens e desvantagens bem claras de um arranjo físico otimizado, é possível analisar qual é o arranjo físico ideal para sua empresa. Em outras palavras, é possível escolher aquele que vai potencializar seus recursos e processos, garantindo máxima produtividade. 

Nesse sentido, quatro arranjos se destacam, são eles: arranjo físico posicional, por produto, celular e por processo. Saiba mais sobre cada um abaixo!

 

Arranjo Físico Posicional

O arranjo físico posicional tem como característica chave concentrar o centro operacional em uma posição apenas e, assim, fazer com que todo o resto tenha que se deslocar até esse ponto. Por isso, garante que o recurso a ser transformado não se movimente e apenas os recursos transformadores, como equipamentos e materiais, se movimentam ao redor do produto ou serviço principal. Dessa forma, apresenta alta variedade de serviços para os colaboradores e bom mix de serviços.

Alguns exemplos de setores que aplicam essa forma de arranjo são bem perceptíveis e de fácil identificação, como a construção civil, onde os operários trabalham em função de uma obra pelo fato de ser algo muito grande para ser deslocado. No setor de produção de aviões ou cargas de grande porte, esse formato de arranjo também é muito perceptível, devido ao alto peso ou volume do produto.

Entretanto, o arranjo físico posicional possui algumas desvantagens em relação às outras proposições possíveis, como baixa eficiência e produtos únicos ou com baixa variedade, muito comum no meio artesanal.

 

Arranjo Físico por Produto

Constantemente o arranjo físico por produto também recebe o nome de arranjo linear ou linha de produção, e engloba localizar os recursos produtivos transformadores, segundo a melhor conveniência do recurso que está sendo transformado. Sendo assim, é normalmente visto em produções em massa com baixo grau de variedade como, por exemplo, a fabricação de automóveis populares. 

Vale destacar que o tipo de arranjo físico adotado pode impactar significativamente nos custos da operação produtiva, causando muitos prejuízos quando é ineficiente e favorecendo a produtividade quando bem aplicado. Entretanto, possui uma série de vantagens, como o alcance de grande produtividade e fácil controle da mesma.

 

Arranjo Físico Celular

No arranjo físico celular os recursos transformados se deslocam ao longo dos locais onde os recursos transformadores estão dispostos para cada etapa específica do processo, ou seja, células. 

Esse tipo de arranjo, portanto, visa a eficiência sem abrir mão da flexibilidade. Dessa maneira, possibilita a união de recursos, que não necessariamente são similares, mas que possuem etapas semelhantes de processamento. 

Isso garante pontos interessantes ao espaço físico, como o trabalho em grupo valorizado, maiores movimentações dos colaboradores e estoques mais baixos. Porém, isso pode gerar alguns gastos não planejados no rearranjo tradicional, exige uma mão de obra qualificada e um nível de utilização de recursos mais baixos.

Além disso, o arranjo físico celular é muito comum nas maternidades dos hospitais e shoppings e no setor da praça de alimentação, por exemplo.

 

Arranjo Físico por Processo

Nesse tipo de arranjo os processos similares são posicionados juntos uns dos outros, em que o recurso a ser transformado é direcionado a sua real necessidade em uma determinada área do processo, que equivale à etapa em que o recurso a ser transformado deve passar para ser transformado conforme sua especificação.

Portanto, é muito utilizado em hospitais, em que ocorre a divisão por setores, como pediatria e oftalmologia. Também ocorre a divisão por processo, direcionando os pacientes à área específica conforme sua necessidade. 

Como as demais opções de arranjos físicos por processos, esse modelo possui vantagens e desvantagens muito características. Entre elas estão a flexibilidade para atender a demanda de mercado, além de atender produtos diversificados em quantidades variadas ao mesmo tempo.

 

Arranjo físico de fábrica e de escritório: quais são as diferenças?

Com essas perspectivas e possibilidades em mente, devemos levar em consideração o objetivo central da empresa. E, em cima disso, com os devidos cuidados e procedimentos realizados, focar no que é importante à produção. No geral, no contexto fabril, o foco é na produção de produtos, e numa visão de serviços ou escritório, o foco é na produção de informação de fácil acesso e de qualidade.

Com essas opções em mente, ainda possui dificuldades de determinar o arranjo que melhor se adequa ao espaço físico da tua empresa? Na EPR Consultoria, realizamos estudos de layout para otimização de processos e recursos. Conheça nosso site e veja alguns cases realizados.

EPR Consultoria