SUPERPRODUÇÃO: CONHEÇA 3 SOLUÇÕES PARA EVITAR

Tempo de Leitura: 6 minutos

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

O que você vai aprender

Superprodução banner

 

A Superprodução é a definição utilizada para a situação em que a indústria produz mais do que a demanda do mercado necessita. Isso resulta em armazéns lotados, gerando desperdícios, gastos desnecessários e prejuízos contínuos.

Contudo, há maneiras muito eficientes de evitar esses prejuízos na indústria por conta da superprodução. Basta compreendê-la e entender como aplicar as soluções para evitar os prejuízos causados por esse problema.

Por isso, este artigo vai auxiliar em um entendimento mais profundo acerca da superprodução, além de destacar as melhores soluções para retirá-lo da sua empresa.

 

O que é superprodução?

Superprodução é a produção em quantidade superior às possibilidades que o mercado pode absorver, ou seja, é quando a indústria produz acima das viabilidades de comercialização. Assim, quando a quantidade de produtos ofertados pela indústria supera a demanda do mercado, os prejuízos podem começar a aparecer.

Em alguns casos, quando o mercado do produto estiver em alta, a superprodução pode acabar auxiliando no desenvolvimento da empresa, porém essas situações são incomuns. Dessa forma, se não houver um estudo e um entendimento aprofundado sobre a demanda do mercado sobre o produto ofertado, é bastante provável que a superprodução traga problemas complexos e desperdícios à empresa.

 

Quais são os desperdícios encontrados na superprodução?

Os principais desperdícios encontrados na Superprodução estão diretamente relacionados a perda de produtos, excesso de estocagem, desvalorização do produto e superprocessamento. Todos esses levam a altos prejuízos para a empresa dependendo da escala que atingem o negócio.

Abaixo exemplificamos cada um desses desperdícios, porque acontecem e como evitá-los.

 

superprodução desperdícios

 

Perda de produtos:

As perdas de produtos em estoques demasiadamente ocupados são muito mais frequentes em indústrias que sofrem com a superprodução.

Dessa maneira, o acúmulo de materiais na área de armazenamento pode ocasionar uma série de problemas: mau uso dos espaços disponíveis, amontoamento dos produtos em locais não apropriados e na dificuldade de manuseio e transporte interno dos mesmos. Muitas vezes, pode acontecer até de operadores e colaboradores estragarem os produtos devido ao difícil acesso a estes.

Essas dificuldades podem acontecer tanto no recebimento do material para estocar quanto no momento de retirada dos mesmos do estoque. Assim, o processo de prevenção e redução de perdas deve fazer parte da rotina de todas as empresas.

 

Excesso de estocagem:

Quando a superprodução está presente em uma empresa, é muito comum que haja uma falta de planejamento do estoque da fábrica. Os produtos passam a se acumular e surgem muitos problemas por conta disso.

O primeiro deles é o esgotamento do espaço físico para guardar os produtos produzidos. Muitas vezes há de se recorrer a aluguéis de armazéns ou ampliação do espaço físico do estoque atual, demandando altos investimentos que poderiam ser evitados no caso de um planejamento de produção mais adequado.

Outro problema relacionado ao excesso de estoque é a falta de organização dos produtos. Os colaboradores deverão remanejar o espaço físico da linha de produção para acomodar os produtos excedentes e provavelmente terão retrabalho ao procurar os produtos certos depois de remanejado o espaço. Além disso, produtos estocados representam dinheiro parado, podendo gerar dificuldade financeira à empresa.

 

Desvalorização do produto:

Quando há uma grande disponibilidade do produto em estoque, a oferta é muito maior que a demanda. As empresas necessitam se desfazer dos seus produtos para evitar esgotamento do estoque, por isso podem optar por baixar consideravelmente o preço do seu produto para que haja uma procura maior do mercado.

Porém, quando essa diminuição no preço do produto torna-se frequente, dificilmente o mercado voltará a procurar o produto no seu valor “original”.

 

Desperdício de superprocessamento:

Gargalos produtivos podem ocorrer pois com a superprodução, equipamentos superdimensionados acabam em desacordo com o restante dos processos. Assim, pode-se gerar mais perdas à fábrica que sofre desse problema.

 

Quais são as consequências da superprodução?

As principais consequências da superprodução estão diretamente relacionadas a desperdícios de matéria-prima, tempo e mão de obra profissional.

Isso resulta em gastos com matéria-prima não aproveitada, tempo ocioso de máquinas e até operadores e colaboradores parados e desmotivados. Sendo assim, essas três principais situações causadas pela superprodução causam danos financeiros profundos para a indústria em questão.

Uma das maiores crises enfrentadas na história está diretamente relacionada à superprodução. Nesse sentido, a crise de 1929 ocorreu, entre outros fatores, por conta da superprodução.

As maiores indústrias da época baseavam-se em produzir em massa para baratear o custo de produção. Porém, isso gerou estoques muito grandes enquanto a demanda do mercado diminuía por conta de uma crise econômica que os principais consumidores passavam. Com isso a superprodução auxiliou para um colapso nas maiores potências econômicas mundiais, contribuindo para a grande crise de 1929.

 

Como evitar a superprodução? Conheça as 3 soluções

Existem muitas maneiras de evitar a Superprodução em seu processo fabril. Dentre essas, algumas ferramentas se mostraram mais efetivas para gerar resultados mais significativos para efeitos corretivos e preventivos contra a superprodução.

O 5W2H, o diagrama de causa e efeito (ou diagrama de Ishikawa) e o controle estatístico de processo são os métodos que trazem mais resultados quando aplicados no controle da superprodução.

 

5W2H:

O 5W2H é uma ferramenta poderosa para controle da qualidade, gestão empresarial e controle da produção. É uma estratégia extremamente simples e prática que pode ser útil em inúmeros momentos do planejamento tático e operacional da indústria em questão, por isso se encaixa perfeitamente no embate da superprodução.

Assim, o 5W2H consiste em 7 perguntas bastante objetivas: o que será feito (WHAT?), por que será feito (WHY?), quando será realizado (WHEN?), onde será feito (WHERE?), quem realizará (WHO?), como será feito (HOW?) e quanto custa para ser feito (HOW MUCH?) assim formando os 5W2H.

 

Diagrama de Causa e Efeito (Diagrama de Ishikawa):

Como o nome diz, o diagrama de causa e efeito é um diagrama cujo objetivo é organizar ideias e fazer a equipe pensar sobre a adversidade a partir das causas e dos efeitos que estão atrelados à raiz do problema.

No caso da Superprodução, é recomendável que a equipe faça um brainstorming (reunião dinâmica para aumentar capacidade criativa do grupo) para entender exatamente quais são as principais causas e efeitos desse problema. Dessa forma, concluído o diagrama será mais fácil ter uma visualização macro do problema e um poder de decisão maior em quais ações tomar a partir da análise.

 

Controle estatístico de processo:

É uma ferramenta de qualidade utilizada para padronizar processos. Garante uma maior previsibilidade dos processos reduzindo e por vezes eliminando causas de variações na produção.

Isso contribui imensuravelmente no controle da Superprodução pois, garantindo um controle e prevendo com mais assertividade, a demanda do mercado e a produção enxuta da fabricação terá menos desperdícios na indústria.

voltar ao topo

Saiba mais