INDÚSTRIA 4.0: ENTENDA SEU IMPACTO PARA EMPRESAS

Tempo de Leitura: 13 minutos

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

O que você vai aprender

Banner Indústria 4.0

Você já ouviu falar em indústria 4.0, suas origens e impactos na atualidade?

Com o advindo dos computadores na década de 70 e 80 e da internet nos anos 90, viu-se cada vez mais uma maior robotização do nosso cotidiano. Assim, cada vez mais estamos dependentes das máquinas inteligentes (os computadores) para realizar as atividades do nosso dia-a-dia, seja no trabalho ou na vida pessoal.

No decorrer dos anos 90 tal tecnologia começou a ser assimilada pelas indústrias, a fim de trazer para as fábricas máquinas cada vez mais inteligentes e autônomas. A partir disso, possibilitou-se diminuir o custo de mão de obra e aumentar a produtividade da linha de produção.

Dessa forma, tal tecnologia incorporada pelas indústrias resultou, no início do século 21, na mais potente revolução industrial até então vivida na humanidade – então, surgiu a indústria 4.0. Saiba tudo sobre este tema abaixo!

 

O que é indústria 4.0?

Indústria 4.0 é o termo dado para a quarta revolução industrial. Nesse sentido, a indústria 4.0 traz como principais características a robotização da indústria, a inteligência artificial, a computação em nuvem e a internet das coisas.

O termo surgiu em meados de 2010 no desenvolvimento ambicioso de um projeto estratégico para criação de novas tecnologias industriais do governo alemão. Esse projeto visava promover a digitalização da manufatura, estabelecendo assim, a Alemanha como um mercado líder e fornecedor de soluções avançadas.

A indústria 4.0 tem como objetivo encerrar o ciclo de automação do processo industrial que já estava em curso desde a terceira revolução industrial. Assim, tornando-o totalmente robotizado e controlado por inteligências artificiais.

Essa nova revolução trará um nível maior de cooperação entre máquinas e humanos, envolvendo coleta e análise de dados por parte dos humanos. Assim, terão cada vez mais que se especializar em linguagens de computação, tanto quanto a tomada de decisão pelas próprias máquinas.

Isto é, na indústria 4.0 a tecnologia da informação se molda com o domínio industrial para dar rapidez, precisão e inteligência a máquinas em um nível nunca visto, tornando-as capazes de tomar decisões sozinhas, sem interferência humana.

 

4 principais tecnologias da indústria 4.0

A indústria 4.0 possui diversas tecnologias – contudo, algumas tem o seu destaque. Saiba mais sobre cada uma delas na sequência:

1 – Inteligência artificial

A inteligência para as máquinas tomarem a decisão na indústria 4.0 vem de longos algoritmos. Estes, que através do tratamento constante de dados para transformá-los em informações úteis para a máquina, criam um sistema onde a máquina passa a aprender a tomar as decisões com base em todos os dados colhidos e analisados.

Hoje, a inteligência artificial permite que as pessoas analisem o comportamento de sistemas, acompanhe tendências e entenda eventos que fogem do padrão. Sendo assim, com o avanço da computação, as fábricas serão, um dia, todas geridas por inteligências artificiais.

 

2 – Big Data

O termo big data é usado para denominar a nova realidade de coleta e análise de dados, trazida pela indústria 4.0. Com o crescente volume de dados coletados e em uma velocidade cada vez maior, se tornou necessário também a criação de novos softwares e hardwares capazes de tratar esses dados. Uma importante característica dessa nova base de dados é a variedade de fontes, no caso tudo que está compilado na internet.

 

3 – Internet das Coisas

A internet das coisas é o termo que designa a integração entre objetos por meio de softwares e sensores. Tal tecnologia é fundamental para o funcionamento das fábricas na Indústria 4.0. Essa é a tecnologia que possibilita, por exemplo, que as máquinas se localizem espacialmente e identifiquem produtos, ferramentas e locais.

 

4 – Computação em nuvem

É o termo coloquial para se referir a nova tecnologia de armazenamento de dados advinda da indústria 4.0. Essa tecnologia faz com que empresas especializadas em servidores sejam capazes de armazenar uma quantidade cada vez maior de dados em menos espaço e os gerencia para os seus clientes. Com isso, se torna possível o armazenamento de cada vez mais dados por parte das indústrias.

 

Qual a importância da indústria 4.0?

Assim como as revoluções industriais passadas, a indústria 4.0 irá mudar toda a forma que interagimos em sociedade. Desde as máquinas e trens a vapor, passando pelos celulares, computador e internet, todas essas evoluções ocorreram primeiro em um ambiente que necessita constantemente de novas tecnologias e otimizações.

Isso tudo para se destacar dentro de um mercado cada vez mais competitivo. Mercado esse que pode ser exemplificado como o setor têxtil, à época da primeira revolução, ao setor automotivo na segunda e o setor de informação e computação surgido na terceira revolução industrial.

Além das novas tecnologias que irão surgir, a indústria 4.0, por trazer uma maior automatização e tecnologia, vai permitir uma queda brusca dos custos de produção em seu auge. Isso tendo em vista que irá aumentar a previsibilidade e a capacidade dentro dos processos industriais.

Na indústria 4.0, é possível produzir de forma ininterrupta, com uma grande previsibilidade de produção em toda a cadeia, com menores custos de mão de obra. Isso vai trazer a necessidade de desenvolver novas tecnologias cada vez mais complexas e capazes de lidar com a nova realidade de criação e distribuição da informação, maior legado social da indústria 4.0.

Toda nova tecnologia industrial busca, além de uma maior eficiência de volume produzido, uma maior eficiência energética. Com isso, a tendência do novo modelo de produção da indústria 4.0 é a busca por novas fontes de energias, principalmente as com um menor impacto ambiental, surgindo grandes oportunidades para o setor.

Tal necessidade vem de um maior uso de energia elétrica dentro das fábricas, atrelado a otimização nos custos de produção. Assim, é necessário produzir mais energia pelo, no mínimo, o mesmo custo de geração.

 

Benefícios da indústria 4.0

A indústria 4.0 traz diversos benefícios, desde sua aplicação na indústria, como nas mudanças que irá trazer para o nosso dia a dia.

O novo modo de produção surgido nesta revolução trará novos modelos de negócios, possibilitando inovação em todos os setores, não só os diretamente ligados à tecnologia. Além disso, como já citado antes, a indústria 4.0 trará uma gestão muito mais eficiente de nossos recursos como premissa de desenvolvimento. Assim, irá baixar os custos de produção, buscar uma economia energética com uma maior eficiência em geração, transmissão e distribuição de energia elétrica.

Além disso, a indústria 4.0 trará uma maior previsibilidade nos processos, o que causará menores erros durante a operação. Para entender mais sobre como a padronização e a estabilidade em seus processos pode afetar positivamente sua operação, leia nosso case em uma grande indústria nacional.

A indústria 4.0 vai permitir, portanto, uma vida muito mais dinâmica e uma produção muito mais sustentável. Como resultado, irá trazer uma crescente entrega de informação, agilidade, maior personificação nos produtos, e, por consequência, uma maior qualidade de vida para a sociedade.

 

Princípios e pilares da indústria 4.0

As grandes indústrias que estão implementando e puxando o desenvolvimento de todas as tecnologias citadas, baseiam-se em alguns princípios e pilares norteadores.

Indústria 4.0

Conectividade

Sistemas capazes de trocas ágeis e eficientes de informação. Com isso, garantindo que todos os agentes, sejam eles humanos ou robôs, tenham as informações corretas na hora certa. Um processo otimizado de gestão de informação é essencial dentro da indústria 4.0.

 

Virtualização

O novo sistema ciber-físico permite o monitoramento de processos através da modelação e simulação destes em sistemas virtuais, capazes de entender todo o comportamento dentro do fluxo em qualquer cadeia de suprimentos.

 

Tomada de Decisão em tempo real

Para um melhor uso dos dados na indústria 4.0, há a necessidade de uma constante coleta e leitura instantânea dos dados recém coletados.

 

Descentralização na tomada de decisão

Para uma maior capacidade de resolução de problemas da forma mais ágil e eficiente possível na indústria 4.0.

 

Modularidade

Tal princípio busca resolver um problema histórico de dificuldade de variações de produção dentro de uma linha contínua. Tal problema é causado tanto por essa modulação linear quanto pela dificuldade de mudar as máquinas de lugar. Portanto, tal pilar busca uma maior capacidade de adaptação do espaço a novos contextos.

 

Personificação do produto

Com toda a agilidade buscada nesses pilares trazidos anteriormente, a indústria 4.0 possibilita que as operações sejam cada vez mais personificadas às exigências do cliente.

 

Dicas para adaptar empresas à indústria 4.0

Mas então, como aproximar sua empresa dessa nova realidade industrial?

Primeiro, o mais importante para se adequar às novas tendências das tecnologias industriais que a indústria 4.0 está trazendo é ter uma estrutura de dados. Isto é, a devida coleta no chão de fábrica, controle e análise desses dados. Ferramentas que permitem o gerenciamento integrado dos dados de produção, de supply chain, comercial e demais áreas de uma indústria são essenciais para uma modernização da operação de determinada empresa do setor produtivo.

Há a necessidade também, da criação de uma área especializada na análise e gerenciamentos eficientes desses dados. Ela, tendo a finalidade de garantir que os dados colhidos, além de estarem sendo colhidos da maneira correta, estejam sendo lidos da maneira correta. Assim, a área chamada de Business Intelligence tem se tornado cada vez mais importante dentro das empresas, já que é a área responsável por toda essa inteligência de dados. Ela tem como objetivo tomar decisões baseadas em predições feitas em cenários passados.

Após a devida coleta e tratamento dos dados que estão sendo gerados na sua produção, deve-se preocupar em trazer uma maior automatização dentro da própria fábrica. Portanto, como está sendo realizada a coleta dos dados, é possível identificar quais os processos de automatização estão trazendo os resultados esperados e quais não.

Utilize-se de tecnologias de captação de movimento, como sensores, por exemplo, para auxiliar no processo de automatização. Aqui é o maior ponto de investimento para a transformação, já que necessita de tecnologia de ponta para integração de objetos em um sistema sem interferência humana.

A EPR Consultoria, através do seu escopo de criação e gerenciamento de indicadores, pode auxiliar você a criar um fluxo de informação dentro dos seus processos, bem como criar ferramentas capazes de realizar a coleta e o gerenciamento dos dados de produção. Confira nossa solução de gerenciamento de processos.

 

Indústria 4.0: exemplos de empresas

A indústria 4.0 surgiu, principalmente, em empresas que viram a necessidade de ter uma vantagem competitiva sobre os concorrentes. Tal vantagem veio, portanto, de uma maior eficiência na produção, com a redução de custos e aumento da capacidade de produção por metro quadrado.

Como exemplos de empresas que estão à frente na indústria 4.0 hoje, podemos citar a empresa fabricante de carros elétricos Tesla, de Elon Musk. Além dela, existe a Space X, fabricante de foguetes também do empresário sul africano.

Dessa forma, Elon busca trazer a tecnologia de mais alta ponta para seus empreendimentos. Hoje, as fábricas da Tesla já possuem uma automatização total, com drones e robôs que se interligam por meio da internet das coisas para poder criar um fluxo sem interferência humana.

Outro exemplo um pouco menos conhecido é a fábrica da Philips, na Holanda. Lá, são produzidos barbeadores elétricos. A fábrica conta com 128 robôs e apenas 9 colaboradores que fazem a manutenção e programação dos robôs.

 

Indústria 4.0 no Brasil: cenário atual e desafios para futuro

Hoje, o cenário da indústria 4.0 no Brasil não é nada animador. Nos últimos anos, o estado não tem criado incentivos suficientes para que as indústrias possam desenvolver suas tecnologias e trazer a implementação da indústria 4.0 na realidade brasileira.

De acordo com estudo realizado em 2020 pela Fiesp, o Brasil não produz tecnologias relevantes em nenhuma das frentes desenvolvidas na indústria 4.0. A pesquisa também revelou que apenas 5% das indústrias brasileiras se consideram preparadas para enfrentar esses novos desafios impostos pela automatização das fábricas. Ela mostra também que apenas 1,6% já colocam em prática os conceitos da indústria 4.0.

Então, quais são os principais desafios para o futuro tendo em vista esse cenário tão desafiador? Primeiro, precisamos criar um ambiente acadêmico que fomente a criação de nossas próprias tecnologias, para que nos tornemos referência tecnológica e possamos atrair cada vez mais indústrias para a automatização e outros conceitos da indústria 4.0.

Para reverter esse cenário, o governo lançou em 2018 a agenda brasileira para indústria 4.0, programa que busca incentivar a implementação da indústria 4.0 no Brasil. O programa contempla desde alíquota zero para a importação de robôs, capacitação de colaboradores, adequações de máquina e difusão do conceito até linhas de crédito facilitadas para o investimento na indústria 4.0. O programa é construído em 7 pilares centrais:

 

1 – Sensibilização

Etapa de difusão do conhecimento.

 

2 – Avaliação e oportunidades de negócios

Etapa para a criação e desenvolvimento de uma plataforma que permita avaliar tudo que precisa para se conectar à nova realidade da indústria 4.0.

 

3 – Conexão entre startups e indústrias

Criação do programa Startup Indústria 4.0, desenvolvido pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, a ABDI. Nesse sentido, empresas recém criadas recebem investimentos para criar soluções inovadoras para a indústria, incentivando a criação da tecnologia da indústria 4.0 no Brasil.

 

4 – Financiamento

Serão disponibilizadas às empresas que desejam implementar a indústria 4.0 linhas de créditos especiais, principalmente focadas em modernização das plantas de produção e a produção de máquinas e sistemas.

 

5 – Mercado de trabalho

De nada adianta querer implementar a indústria e investir para isso caso nossa mão de obra não seja qualificada. Dessa forma, a agenda prevê como meta a formação, inicialmente, de 1.5 mil professores de educação profissionalizante e tecnológica para a indústria 4.0, além da capacitação de mais de 10 mil alunos na rede de institutos federais.

 

6 – Comércio internacional

A ideia da agenda é trazer para todos os acordos comerciais brasileiros o tema de indústria 4.0, buscando a redução ou dispensa de impostos para a entrada de novas tecnologias, como por exemplo, as impressoras 3D e os robôs industriais.

 

7 – Revisão de normas

Para que tudo andasse conforme o esperado, é necessário também uma adequação do sistema legal, para a inclusão de normas focadas nessas novas tecnologias. Normas para acelerar a robotização, modernizar e digitalizar os parques industriais e aumentar a segurança jurídica dentro do mundo digital são exemplos disso.

Como podemos ver, o governo brasileiro tem um ousado plano de longo prazo para trazer a indústria brasileira para a era da indústria 4.0, trazendo competitividade para nossas empresas frente ao cenário internacional. Será que a agenda vai colher os resultados esperados? Isso ninguém sabe afirmar, mas ficará a sua indústria de fora dessa revolução? Marque já um diagnóstico gratuito com a EPR Consultoria para saber mais sobre nossos serviços.

 

voltar ao topo

Saiba mais