PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: SAIBA O QUE É E CONHEÇA SUAS ETAPAS

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

O que você vai aprender

Planejamento Estratégico - banner

O que é planejamento estratégico?

O Planejamento Estratégico é de grande valor para a gestão de uma empresa e para o seu crescimento, uma vez que ajuda a mapear os objetivos da empresa a curto, médio e longo prazo. Além disso, mostra a situação interna e externa do empreendimento, de forma que auxilia nas tomadas de decisão estratégicas.

Nesse sentido, sabemos que o mercado está cada vez mais competitivo e desafiador, o que torna as etapas decisórias cruciais para a sobrevivência e futura expansão do negócio. Por isso, para que as medidas tomadas dentro da empresa estejam sempre alinhadas com seu propósito, é fundamental ter o direcionamento que o Planejamento Estratégico fornece.

Quem deve fazer parte da definição do planejamento estratégico?

A elaboração do Planejamento Estratégico deve ser feita pelas áreas da empresa que possuem uma visão macro dos processos, pois esse entendimento da produção permite uma abrangência maior da estratégia. Além disso, deve incluir pessoas que têm conhecimento sobre o mercado e suas análises. Em geral são os sócios proprietários, diretores e principais acionistas que criam o planejamento estratégico.

Após ocorrer a elaboração do planejamento com os integrantes, os gerentes e colaboradores devem ser incluídos no processo. Desse modo, eles se sentem parte da organização e, portanto, têm o engajamento e disposição necessários para executar as tarefas propostas.

Contudo, caso as lideranças da empresa não se sintam confortáveis em estruturar um planejamento estratégico, é possível terceirizar a elaboração do mesmo. E, se essa for a opção escolhida, será necessária a participação dos líderes. Eles serão responsáveis por repassar as análises e informações necessárias para que a empresa contratada entenda o funcionamento da organização, seus objetivos e funcionamento.

5 modelos de planejamento estratégico empresarial

No que tange ao Planejamento Estratégico Empresarial e suas etapas principais, existem cinco modelos principais. Sendo assim, cada um dá um foco maior para algumas áreas específicas, que variam de acordo com as necessidades exigidas pela organização.

Leia também: PLANEJAMENTO FINANCEIRO EMPRESARIAL: ESSENCIAL PARA OBTER SUCESSO

Também é válido ressaltar que não há um modelo errado, mas, sim, modelos com maior foco em determinadas etapas de acordo com cada objetivo. Por esse motivo, é importante conhecer bem as demandas da organização e seu dia a dia para executar o modelo que for mais conveniente.

Conheça, abaixo, cinco modelos de planejamento estratégico empresarial:

Estratégia básica de planejamento

Esse é o modelo mais básico e menos aprofundado. Portanto, empresas que não possuem muito tempo para executar o Planejamento Estratégico tem o costume de aplicar esse processo.

Nesse sentido, ele passa por todas as etapas de planejamento estratégico, porém de forma menos estruturada. Em outras palavras, há revisão de propósito, de problemas críticos, elaboração de estratégias e monitoramento, porém de forma mais simples, sem utilizar ferramentas muito aprofundadas como Matriz SWOT e 5W2H.

Com esse formato é possível identificar problemas críticos e soluções estratégicas. Porém, o processo pode apresentar lacunas, visto que possui uma baixa atenção a elaboração.

Processo de planejamento estratégico baseado em questões

Nesse modelo, o procedimento é muito similar à estratégia básica, porém um pouco mais aprofundado com a revisão da missão, visão e valores, além da aplicação da matriz SWOT.

A partir disso, ocorre uma discussão onde ocorre a elaboração de planos de ação sobre cada uma das problemáticas levantadas na matriz SWOT.

Planejamento estratégico de alinhamento

Nesse modelo, ocorre o pensamento do Planejamento Estratégico juntamente a diferentes cenários externos que podem ocorrer e afetar a empresa. Nesse sentido, é relevante projetar três possibilidades: o pior, o razoável e o melhor cenário possíveis.

Após isso, ocorre um debate para decidir qual postura a organização irá tomar caso cada um desses cenários venha a ocorrer. Dessa maneira, torna-se possível pensar em estratégias concretas dentro das etapas do Planejamento Estratégico.

Processo de planejamento estratégico orgânico

Como o nome já diz, esse modelo se dá de maneira menos engessada e mais natural do que os anteriores, que ocorrem de forma mais linear. Aqui, o foco principal é que o processo ocorra naturalmente ao focar em uma construção voltada a fortalecer a comunicação e a cultura da equipe como um todo.

Sendo assim, o processo deseja tornar claro, acessível e do conhecimento de todos os valores culturais da organização, para que assim seja possível estabelecer uma missão e visão mais consolidadas.

Nesse sentido, o diálogo é fundamental desse modelo, visto que se busca um crescimento da organização a partir do fortalecimento da cultura entre todos. 

Esse fortalecimento é um procedimento diário essencial para manter a cultura forte entre os membros e passá-la para os futuros integrantes que ingressarem na empresa, sendo que não há um prazo para finalização desse processo.

Etapas do planejamento estratégico

Para pensar e elaborar um bom Planejamento Estratégico, é importante se atentar às etapas importantes desse processo. Dessa forma, todos os fatores importantes são levados em consideração e, então, os resultados tornam-se efetivos. 

Por isso, todas as etapas são essenciais, e a falta de alguma poderá levar a erros no futuro. Confira quais são elas abaixo!

Análise da empresa

De início, é interessante executar um brainstorming sobre as principais partes envolvidas e impactadas no dia a dia da empresa. Nesse caso, é relevante pensar no consumidor/público alvo da empresa, de forma a entender seu perfil e de que forma mudanças na empresa podem afetá-lo.

Além disso, é fundamental analisar quem é afetado financeiramente e estrategicamente pela organização. Exemplos disso são os fornecedores, acionistas, parceiros, possíveis investidores, órgãos públicos relacionados, entre outros.

Por último, é relevante buscar entender a perspectiva dos colaboradores e gerentes a partir dos problemas recorrentes ou de determinados processos internos. Muitas vezes, a visão de quem está mais distante do estratégico e mais em contato com a operação pode trazer bons insights para a execução do Planejamento Estratégico.

Revisar missão, visão e valores

Embora essa não seja uma etapa obrigatória, é interessante que haja essa revisão para entender se a missão, visão e valores ainda estão alinhados com a cultura e com os objetivos a curto, médio e longo prazo da empresa.

Analisar fatores internos e externos da organização

Nesse momento, é interessante utilizar a matriz SWOT ou FOFA, em português. Essa análise consiste em observar as Forças e Fraquezas no âmbito interno e Oportunidades e Ameaças no âmbito externo.

Nos fatores internos, é relevante avaliar quais os pontos fortes e fracos no que depende apenas do bom funcionamento e gestão da empresa, como por exemplo, a comunicação interna, qualidade dos colaboradores contratados, alinhamento da equipe, cultura interna de inovação, engajamento, entre outros.

Já nos externos, são aqueles que a empresa não necessariamente tem controle sobre, mas que deve saber lidar com possíveis cenários adversos. Como exemplo, é possível citar crises econômicas, oscilação do dólar, tributação, mudanças climáticas, questões legais, tendências de comportamento, entre outros fatores.

Definir objetivos e metas

A partir da análise das forças, oportunidades, fraquezas e ameaças, é importante entender os pontos críticos identificados e estabelecer objetivos e metas que potencializem as forças e oportunidades e que combatam ou atenuem as fraquezas e ameaças. 

Esses  objetivos e metas, ao serem estabelecidos, serão fundamentais para elaborar planos de ação futuros.

Estabelecer planos de ação

Para que os objetivos e metas traçados sejam atingidos, é de extrema importância elaborar planos de ação bem definidos, podendo haver mais de um plano de ação para cada objetivo/meta, caso necessário. Dessa forma, é interessante utilizar a ferramenta 5W2H para cada plano de ação pensado, pois com ela é possível torná-los mais tangíveis e organizados.

Nesse sentido é preciso estabelecer para cada um deles O Que será feito (What), Por Que será feito (Why), Quando será feito (When), Onde será feito (Where), Quem fará (How) e Quanto custará (How Much).

Cada um desses pontos é essencial para que seja possível delegar responsáveis por cada um. Então, a partir disso, estipular prazos, monitorar a evolução dos planos de ação de acordo com o tempo estimado e elaborar indicadores com essas informações.

Leia também:

KAIZEN: SAIBA TUDO SOBRE O MÉTODO DE MELHORIA CONTÍNUA

JUST IN TIME: SAIBA MAIS SOBRE O SISTEMA DE PRODUÇÃO ENXUTA

KANBAN: COMO APLICAR NA SUA EMPRESA E AGILIZAR PROCESSOS

Elaborar indicadores e monitorar resultados

Com as informações coletadas pelo 5W2H bem pensadas e estruturadas, é possível elaborar indicadores de execução em relação ao prazo, retorno financeiro das modificações em relação ao investimento feito.

Além disso, é importante elaborar ou analisar os indicadores de crescimento, de vendas, de lucratividade e de nível de satisfação do cliente (NPS), a fim de comparar resultados da empresa antes, durante e depois das novas implementações vindas com o Planejamento Estratégico.

A partir disso, é possível entender o que está dando certo, o que está dando errado e o que pode ser revisto em cada área da companhia.

Método PDCA para a gestão do seu negócio

voltar ao topo

Saiba mais