LOGÍSTICA: COMO FUNCIONA E PARA QUE SERVE?

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

O que você vai aprender

Ter um plano de logística efetivo é um passo importante para não ser apenas mais uma empresa no mercado. Em outras palavras, estamos inseridos em um mercado cada vez mais competitivo. Neste sentido, há diversas empresas oferecendo produtos e serviços semelhantes e se destaca quem consegue entregar a melhor experiência ao consumidor.

Assim, a logística consiste em uma forte organização e planejamento dos mais diversos processos internos e externos da empresa. Aqui, o objetivo é de torná-los o mais enxuto e eficiente possível.

Assim sendo, o plano de logística exerce um papel estratégico fundamental para o sucesso e consolidação de uma marca.  Portanto, é por meio de uma análise sistêmica dos mais diversos processos que é possível otimizar etapas da produção que não agregam valor ao cliente. Desta forma, por consequência, os custos são reduzidos e a qualidade de entrega melhora.

Logística: como funciona?

A logística consiste na organização e planejamento de diversos processos da empresa, que tangem desde o transporte e movimentação, até a armazenagem do produto. Logo, todos esses aspectos representam um custo para a empresa, e otimizá-los é necessário para aumentar a competitividade e saúde financeira.

Um bom planejamento logístico, portanto, tem como objetivo reduzir ao máximo os custos envolvidos com transporte, movimentação e armazenamento.

Dessa forma, para realizar um planejamento de logística, é preciso conhecer quais indicadores estão envolvidos no custo logístico da empresa, a fim de identificar quais são as variáveis envolvidas e como reduzir suas perdas.

Dentre as 7 perdas da produção enxuta, duas delas estão diretamente relacionadas à logística:

  • Perdas por transporte:

    Acontece quando produtos são transportados de maneira não programada, de forma desnecessária ou a partir de sistemas inadequados.

    Dessa forma, para eliminar o desperdício com o transporte das mercadorias, é necessário adequar a logística de maneira inteligente. Já nos casos de movimentações dentro da organização, também levar em conta melhorias nos layouts.

  • Perdas por movimentação:

    São movimentações desnecessárias dos colaboradores nos processos de produção. Neste sentido, ela costuma ser gerada por erros de orientação na execução, má distribuição de tarefas e falta de mapeamento de parâmetros quanto a tempo para executar cada atividade.

    Portanto, para solucionar esta perda, é necessário planejar um roteiro adequado e lógico de trabalho, determinar o tempo médio da execução de cada etapa e excluir passos desnecessários dentro do processo.

Logística de produção eficiente

Reduzir essas duas perdas citadas acima é o principal objetivo da execução de uma logística de produção eficiente. Mas como podemos fazer isso?

Neste sentido, diversas empresas optam por softwares de gerenciamento de logística, os quais irão auxiliá-las nas tomadas de decisão e controle logístico. Contudo, o controle por si só não resolve problemas. É necessário criar planos de ação para otimizar movimentos, transporte e armazenagem.

Por isso, separamos 3 ferramentas que auxiliam na execução dos planos de ação e otimização dos processos:

  • Mapeamento dos Processos:

    mapeamento de processos auxilia na identificação de gargalos ao longo das movimentações, transportes e armazenagens. Assim, podemos remodelar os processos atuais e atingir o processo ótimo com a eliminação das perdas.

  • Curva ABC:

    Essa ferramenta analisa e categoriza estoques com base na sua importância. Otimizando a alocação do seu armazenamento, perdas por movimentos e transportes desnecessários são reduzidos com eficiência.

  • Cronoanálise:

    A cronoanálise identifica de forma quantitativa onde estão localizadas as perdas por movimentação e transporte. Dessa forma, ela estuda os tempos de movimentos para indicar quais processos que não agregam valor estão despendendo mais tempo, para então eliminá-las ou reduzi-las.

Embora a logística atue fortemente no que tange ao transporte de matéria-prima e de produtos acabados, está enganado quem acredita que esse assunto se restringe apenas a isso. Assim, ela atua em toda a cadeia de suprimentos e em todos os processos de fabricação dos produtos até a entrega ao consumidor final.

Etapas do processo de logística

Com tantas etapas, é importante estruturar um bom processo logístico. Para isso, é necessário se atentar para outras etapas tão importantes quanto o transporte:

Armazenamento: 

Cuidar o local de armazenamento – tanto dos produtos que ainda estão em estoque quanto da matéria-prima que ainda não foi utilizada – é uma parte fundamental da logística. É importante que eles sejam armazenados em locais seguros e de fácil acesso, para que não haja perdas em movimentação dos funcionários à procura desses itens.

Padronização da informação: 

É fundamental concentrar toda a informação ligada ao negócio em um só lugar e que seja acessível e de fácil compreensão a todos que precisarem acessar esse material. Além disso, é sempre fundamental manter os dados organizados, para que possam ser facilmente localizados quando necessário.

Previsão de demanda: 

Aliado a uma boa centralização da informação, é importante ter uma boa ferramenta de previsão de demanda. Por meio dos registros de vendas nos meses anteriores, é possível prever quanto deve ser adquirido de matéria-prima e quanto se deve produzir. Além disso, outras decisões estratégicas que influenciam em todos os processos de logística, desde o estoque até a entrega final, aparecem com a previsão.

Comunicação: 

Os canais de comunicação devem ser de fácil acesso e compreensão para todos os envolvidos. A intenção é de que a troca de informação entre setores e até entre cliente e empresa sejam efetivos, visto que falhas na transmissão das mensagens podem acarretar em erros, retrabalhos e atrasos nas entregas.

Ainda, no sentido da pandemia,  a comunicação se dá à distância na maioria das vezes. Portanto, é preciso dar ainda mais atenção para a forma que ocorre o fluxo de informação para que seja possível uma interação satisfatória.

Logística na quarentena

Em tempos de isolamento social, o E-commerce vem ganhando ainda mais espaço entre os consumidores. E com o aumento dos pedidos, é preciso maior organização para que não haja falhas entre a chegada do pedido e a entrega em seu devido prazo, o que faz ainda mais necessário um trabalho forte de logística.

Atualmente, a maior parte dos consumidores se informam sobre a reputação da marca a partir dos relatos de outros usuários nas redes sociais a respeito de prazos e qualidade de entrega. Desta forma, prezar pela logística em entregar uma boa experiência é fundamental para a consolidação no mercado.

Portanto, para que haja sucesso nas vendas, principalmente nesse período de pandemia, é muito importante se atentar aos cuidados logísticos em cada uma das seguintes etapas. Elas devem ser bem estruturadas para que haja menos custos e evite atrasos ao cliente e danos ao produto.

Confira dicas abaixo: 

  1. Bons fornecedores: qualidade do produto e pontualidade na entrega são fundamentais;
  2. Recebimentos das mercadorias: aqui ocorre o recebimento da mercadoria acabada para que seja alocada em estoque no lugar mais adequado.
  3. Estocagem: é nessa etapa que os produtos acabados são armazenados no local mais estratégico possível, de forma que fiquem abrigados de intempéries e que permaneçam de fácil acesso.
  4. Recebimento do pedido: o pedido do cliente chega à empresa e deve começar a ser preparado assim que for aprovado.
  5. Aprovação do pedido: essa etapa é fundamental para a segurança da empresa, pois é após a checagem do sistema e a autorização do pagamento que o produto deve ser preparado para o envio.
  6. Localização e preparação do envio: este ponto retoma a importância de uma boa logística em armazenamento e centralização da informação, para que seja fácil identificar onde estão os produtos solicitados com maior agilidade.
  7. Separação e Embalagem: é aqui que o pedido já identificado é preparado para ser enviado ao cliente. Deve-se atentar ao cuidado com a embalagem, pois ela deve preservar o produto que será transportado de possíveis danos. Além disso, também importa agregar valor visual ao cliente, que percebe que o produto foi pensado e cuidado para sua melhor experiência.
  8. Expedição e entrega: engloba o processo final de envio do produto, desde seu carregamento até chegada ao destino final, o consumidor.

Quais são os tipos de logística?

Dentre os tipos de lógicas disponíveis destacam-se a logística reversa e a logística verde. Saiba mais abaixo:

LOGÍSTICA REVERSA

A logística reversa é um ponto a se destacar, principalmente nesse período. Ela se trata de quando o produto retorna à loja por não atingir às expectativas do cliente.

Pelo fato de, na maioria das vezes, o consumidor não ter a oportunidade de experimentar ou de ver o produto pessoalmente, as trocas no e-commerce costumam ser mais frequentes. Isso também exige um esforço redobrado de organização logística para que todo o processo de troca seja feito da maneira menos custosa para a empresa.

LOGÍSTICA VERDE

Este tipo de logística em questão visa ao cuidado com o meio ambiente, tentando encaixar na logística de todo o seu sistema de produção formas de gerar menos impacto ao planeta. Ou seja, há a intenção de impactar menos nos processos que geram algum tipo de poluição.

Um exemplo é a otimização ou encurtamento das rotas das transportadoras, sempre que possível. Além de enxugar custos, essa medida também impacta em uma menor emissão de gases poluentes.

Outra forma que algumas empresas estão tentando colocar em prática são as iniciativas de elaboração de embalagens recicláveis e/ou reutilizáveis.

O que faz um profissional da logística?

O profissional de logística pode atuar nos mais diversos ramos. Em geral, o curso de logística é oferecido nas modalidades técnico (duração média de um ano) e tecnológico (duração média de dois anos). Porém, alguns cursos de bacharelado oferecem disciplinas sobre esse assunto.

Para além do conhecimento técnico, esse profissional deve possuir um perfil de liderança para coordenar uma cadeia de suprimentos, além de ter forte visão estratégica para enxergar de forma macro os inúmeros processos a qual está encarregado. Ser flexível e adepto a tecnologias também costumam ser pontos forte de quem busca se encaixar nesse mercado.

No que tange ao conhecimento técnico, é importante dominar algumas ferramentas muito utilizadas na logística. Dentre elas, as mais conhecidas são o EPR e softwares de simulação.

A primeira é fundamental para integrar informações muito importantes para a tomada de decisões estratégicas, como, por exemplo, dados de estoque, fornecedores, histórico de vendas, entre outros. 

Além disso, muitos profissionais da engenharia absorvem a demanda por esses profissionais e atuam fortemente em cargos de logística. E na Engenharia de Produção, essa é uma área de atuação já consolidada.

Logística empresarial: terceirizar ou não?

Sabemos que, quanto maior e mais complexa uma empresa se torna, mais desafios logísticos surgem, e a demanda desses profissionais cresce cada vez mais. Por isso, muitas empresas optam pela terceirização.

As terceirizações mais recorrentes são a 3PL e a 4PL. A 3PL se relaciona a um setor mais operacional, terceirizando geralmente o transporte e o armazenamento. Enquanto isso, a 4PL costuma ser a terceirização de uma parte mais estratégica dos processos que englobam a produção, que seria então a gestão dessa cadeia de suprimentos, mais conhecida como Supply Chain (sua tradução em inglês).

É sempre importante destacar que a decisão por terceirizar ou não alguma etapa logística de uma empresa deve passar por cálculos robustos. Ademais, análises profundas de curto, médio e longo prazos são válidas para que a decisão seja a mais adequada para cada estilo de negócio.

Quer saber como a EPR Consultoria reduziu em 19,5% os custos logísticos da maior empresa siderúrgica nacional? Confere nosso CASE!

voltar ao topo

Saiba mais