BALANÇO PATRIMONIAL: O QUE É, ESTRUTURA E COMO FAZER

Tempo de Leitura: 7 minutos

Compartilhe

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

O que você vai aprender

Balanço patrimonial é um relatório financeiro que auxilia a empresa a compreender a sua situação econômica. Além disso, ajuda a determinar se o momento na qual a análise foi feita é propício para uma expansão ou se há algum alerta de cautela. 

Ao longo do texto você entenderá a definição do conceito, como abordar os seus objetivos e como fazer o balanço patrimonial no seu negócio.  

 

O que é balanço patrimonial?

Balanço patrimonial é um relatório contábil que considera todos os recursos, direitos e investimentos de uma empresa ao fim de um período de tempo. Ele é como uma foto de um momento específico da empresa e é elaborado normalmente a cada 12 meses.

A partir desse documento, é possível determinar qual a situação financeira de uma empresa e como ela equilibra sua entrada e saída de dinheiro. A análise é profunda, sendo levados em conta, além do lucro, seus patrimônios e posses. 

Dessa forma, torna o resultado muito mais realista referente a situação em que a empresa se encontra.

 

Para que serve o balanço patrimonial?

Além de ser uma obrigação legal pelo Código Civil para muitas empresas, a precisão das informações é importante para a tomada de decisões futuras de uma empresa. Por isso, é crucial que esse documento seja realizado com transparência e objetividade.

Dessa forma será possível, dentre várias conclusões, elaborar um planejamento estratégico mais assertivo. Além disso, identificar a situação econômica da empresa e determinar se o momento é ideal para expansão ou se é mais prudente cortar gastos. 

Ademais, o balanço patrimonial é muito útil para atrair investidores, pois comprova o potencial do seu negócio e costuma ser analisado em situações como essa. 

 

Como funciona o balanço patrimonial?

Como trata-se de uma representação de um momento específico, primeiramente é necessário determinar o período do relatório. Em seguida, devem ser listadas todas as formas com as quais a empresa ganha dinheiro e com o que ela gasta.

A partir dessas informações, então, será possível calcular o patrimônio líquido, que representa, basicamente, se a empresa está no lucro ou devendo. Porém, tendo-se as origens de cada entrada e saída de capital, pode-se ter uma boa ideia da situação financeira do negócio.

 

Estrutura do balanço patrimonial

A estrutura do balanço patrimonial é bastante padronizada, contendo os ativos, os passivos e o patrimônio líquido da empresa em um dado período de tempo. Além do mais, ainda é possível subdividir os ativos e passivos em circulantes e não-circulantes.

Ativos são bens, direitos e recursos de um negócio, ou seja, tudo aquilo que gera valor econômico. Um exemplo circulante – que é convertido em valores monetários em menos de 1 ano – são estoques. Já um caso não circulante – que exige mais de 1 ano para ser convertido em dinheiro – seriam imóveis.

Por outro lado, os passivos representam todas as despesas, obrigações e dívidas de uma empresa. Nesse caso, os circulantes seriam aqueles com prazos de vencimento inferiores a 1 ano – como impostos – e os não-circulantes, aqueles com prazos superiores a 1 ano – como investimentos a longo prazo.

Por último, o patrimônio líquido é a diferença entre os ativos e os passivos, ou seja, é o capital que a empresa possui disponível em caixa. Portanto, para que o patrimônio líquido seja positivo e a empresa esteja lucrando, o ideal é que o total dos ativos seja maior que o total dos passivos.

 

Quando fazer balanço patrimonial

O balanço patrimonial deve ser realizado, por obrigação, ao fim de cada exercício social, referente ao período de 12 meses. Desse modo, apresentando dentre suas demonstrações financeiras, o dever é similar ao imposto de renda, com um prazo final de declaração. Portanto, a fim de facilitar o processo, é recomendado que se tenha os ativos e passivos já registrados para o momento de realização do relatório.

Todavia, nada impede que o balanço patrimonial seja feito entre períodos de tempo mais curtos. Sempre que parecer necessário ou interessante saber a situação financeira da empresa em dado momento, pode-se elaborar esse documento. Lembrando que caso não tenha passado tempo o suficiente para haver mudanças significativas, o balanço pode não ter muita utilidade. 

 

Preciso de um profissional para fazer balanço patrimonial?

Ter controle de onde está e para onde vai o capital da empresa é extremamente importante para o desenvolvimento de um negócio. Portanto, contratando um profissional de conhecimento aprofundado para realizar o balanço patrimonial, obtém-se um relatório mais preciso e eficiente da situação financeira na qual a empresa se encontra.

Essa confiança nas informações permite, por sua vez, que o planejamento estratégico e a tomada de decisões futuras sejam feitos com um embasamento que garante maior segurança. Dessa forma, tendo-se convicção da assertividade das informações do relatório, a empresa pode crescer de maneira segura e planejada, evitando incertezas e decisões financeiras arriscadas.  

 

Como fazer balanço patrimonial?

Primeiramente, para fazer um balanço patrimonial fidedigno e preciso, deve-se ter organizados os registros dos fatos contábeis, ou seja, os ativos e passivos da empresa. Assim, será possível ter mais assertividade nas informações encontradas ao fim da elaboração do documento.

Em seguida, são informados o nome da empresa e o período de apuração (data da elaboração do documento). Posteriormente, em uma planilha, dispõe-se os ativos à esquerda e os passivos à direita. Dessa forma, ordenando-os de acordo com sua situação de liquidez – em quanto tempo poderão ser convertidos em dinheiro – sendo a mais líquida disposta mais acima.

A partir disso, é possível calcular o patrimônio líquido, verificar a situação na qual a empresa se encontra e analisar as informações para tomar decisões estratégicas com segurança. Algumas das conclusões que podem ser tiradas deste demonstrativo são, por exemplo, indicadores de rentabilidade, de liquidez e de endividamento. 

 

Como analisar um balanço patrimonial

As análises possíveis a partir do balanço patrimonial vão muito além de saber se o patrimônio líquido é positivo ou negativo e se a empresa está lucrando ou não. Tendo-se todos os ativos e passivos listados, é possível mapear quais são seus melhores investimentos e se há maneiras de diminuir suas despesas.

Assim, pode-se concluir a capacidade de expansão do negócio com os recursos disponíveis, como fazê-lo e, ainda, a velocidade com que se é possível crescer. Uma forma de fazer isso, por exemplo, é analisando a saúde financeira da empresa e o potencial de movimentação dos seus ativos e passivos.  

 

Exemplo de balanço patrimonial

Trazendo um exemplo para melhor explicar o balanço patrimonial e para ser possível entender como ele ocorre na prática, será considerado um caso hipotético. Começando pela determinação do período, como normalmente o intervalo de tempo entre balanços é de 12 meses, pode-se seguir o calendário e realizar o relatório a cada janeiro. 

Em seguida, deve-se pontuar seus ativos circulantes (como caixa e contas a receber) e não circulantes (como propriedades e máquinas), ordená-los por liquidez e somá-los. O mesmo deve ser feito com seus passivos circulantes (como aluguel e pagamentos de juros) e não circulantes (como empréstimos de longo prazo e impostos de renda diferidos). 

Por fim, calcula-se o patrimônio líquido e os indicadores de liquidez, rentabilidade e endividamento. Após, o balanço patrimonial estará pronto e restará apenas analisá-lo e concluir a respeito da situação financeira da empresa para tomar decisões.

 

Balanço patrimonial e DRE: qual a diferença?

Tanto o balanço patrimonial quanto o DRE (Demonstrativo do Resultado do Exercício) são relatórios essenciais para a gestão financeira de uma empresa. Entretanto, embora eles sejam comumente confundidos, apresentam informações diferentes.

Enquanto o balanço patrimonial demonstra a situação financeira da empresa em um momento específico e permite o diagnóstico momentâneo da sua saúde financeira, o DRE resume as atividades realizadas pela empresa durante um período de tempo e o resultado financeiro delas.

Assim, é importante ressaltar que ambos são essenciais e que um não substitui a necessidade do outro.

voltar ao topo

Saiba mais